Salte, livre de tudo o que é físico, e cresça…

  • Quem não se faz igual a Deus não percebe Deus, pois o igual é conhecido pelo igual. Salte, livre de tudo o que é físico, e cresça, tão vasto quanto essa imensurável vastidão. Vá além do tempo e se torne eterno.
  • O artista molda as nuanças da vida numa estética que leva a arte e a história a novas alturas e profundidades. Com essa definição, todos devem ser artistas – alquimistas. O mundo se torna então uma galeria viva: nela, não apena observamos, mas participamos totalmente.

Thom Cavalli

b

 

Respeito pelo consumidor?

Já assistimos o filme várias vezes e não aprendemos. Nossa sede por querer consumir e comprar novidades não nos permite analisar com calma. No caso dos carros você tem necessidade de acompanhar o modismo e pode até ser que precise trocar de carro mesmo e já.

Já tive minhas diferenças com a Honda e perdi a parada no Procon, lançaram o Fit EX com quase nada em 2014 e 15 e no 2016 voltaram direção de couro, velocidade de cruzeiro, etc. – melhor esquecer para não chorar de novo.

Vejam o caso de lançamentos de carro bonitos ou SUVs com motores inferiores ao necessário. Já sabem que teria que ter por exemplo um 2.0 e colocam um 1.8 que não atende e pior – com maior consumo de combustível. Temos alguns casos no mercado e até em lançamento com motor 1.8 e que em pouco tempo não existirá mais, pois vai receber a melhor motorização e em preço semelhante.

Alguém pensa no pobre consumidor que vai comprar um carro que em pouco tempo receberá outro motor.

A pergunta que não cala: qual o motivo de vender um veiculo com motor de potencia inferior sabendo que o mesmo não vai ser satisfatório? E que numa nova versão terá motorização mais apropriada?

Eu, sinceramente, não entendo. Pode ser por saber que novidade vende e o lucro é maior, basta ser bonitinho e virar moda.

Georg Bechter

Na revista da Abril Arquitetura&Construção, de janeiro de 2016, vemos um trabalho de Georg Bechter muito interessante:

No site do Georg Bechter, lemos que ele não é capaz de parar de questionar todas as coisas. Reconsiderando o que já tinha visto anteriormente e que de repente vê de modo diferente, criando a partir do que não pode ser apreendido. Arquiteto e designer, suas duas paixões – ele trabalha na fusão de dois mundos que certamente são próximos.

Dirigir na neve não é para qualquer um, no gelo para ninguém

Estou acompanhando a situação emergencial que está ocorrendo nos EUA novamente em 2016. A neve está linda de se ver, difícil de enfrentar. Parar em pé quando a neve se transforma em gelo não é fácil não. Dirigir então, fica extremamente complicado, não tem como segurar o carro. Tem que colocar correntes para enfrentar, que por sinal acompanham o carro para estas emergências, e mesmo assim… No Canadá os carros já vem com pneu especial para estas situações extremas. Mas, não tem como fugir, pegou o gelo vai escorregar, não conta experiência em dirigir na neve. E sempre é legal de ver, extremamente difícil tem que sair para trabalhar, fazer compras. E começa a faltar comida e água pois os caminhões sofrem e aviões não aterrizam.

 

Steve Jobs – filme

Acabei de assistir o filme Steve Jobs. Não gostei do filme, porém, não digo para você não assistir.

O filme insistiu muito no caso da filha de Jobs que ele não aceitava como sua filha e quando ela fez 18 começou uma aproximação muito legal entre os 2. Mas na minha opinião isso faz parte da vida particular dele, o importante a considerar e relevar é sua contribuição ao mundo do Ti. De sua exigência na qualidade e dentro de sua ideia de criar um computador que não poderia dar problema e muito fácil de usar. O usuário não poderia ter problema com seu equipamento, não ter dor de cabeça. Tinha até aquela de que se um Mac Apple desse problema poderia jogar fora e comprar outro, isso se desse problema. E não existe perfeição absoluta neste mundo onde vivemos. O fato é que as equipes que trabalharam com Jobs sempre, sempre tiveram muita qualidade. E sabemos que um programa (hardware) pode se recuperar se bem programado, deu problema desvia para um rotina que faça um contorno.

A questão é a própria Apple era muito conservadora e não aceitava totalmente a revolução que Jobs pregava, o usuário não tem que guardar comandos e sim, na época com os mouses você comandava a máquina sem dar comando decoreba nenhum. E o design dos equipamentos, no adiantava somente alguém fazer o design, mas havia a necessidade de alguém visionário que o aperfeiçoasse e tivesse um gerenciamento nos processos fabris.

Na minha modesta opinião o filme tinha que mostrar com mais detalhesa convivência entre Jobs e seu designer preferido.

Também no filme não mostra commais detalhes a mudança no visual de Jobs, quando cortou o cabelo mais curto e começou usar óculos estilo John Lennon.

Não tiro a importância da Microsoft com seu Windows (Jobs abriu caminho).

Tiro o chapéu para Bill Gates e principalmente Steve Jobs que simplificou o uso dos computadores. A Apple (mesmo nome da gravadora dos Beatles) realmente merece estar onde chegou como uma das empresas mais valiosas do mundo.

Anualmente estão patinando um pouco, pois tem muito ainda para criar, alguém precisa saber ouvir e ver.

 

Tecnologia de última geração em trens. E no Brasil…

Maglev technology + solar energy

O transporte ferroviário irá se tornar um meio barato de transporte para qualquer classe de pessoas, e para o funcionamento dos trens um pouco de energia na forma elétrica, convertida para suporte mecânico com fim de propulsão. Entre as várias formas de energia, a energia solar é a melhor forma para utilização na presente situação. A energia solar é convertida em energia eléctrica através de painéis solares e, em seguida, utilizados para as necessidades. O homem conseguiu alcançar suas necessidades de locomoção de modo mais rápido através de Maglev. A energia elétrica desempenha um papel fundamental para o Maglev. Para que a energia solar seja utilizada para a geração de eletricidade, existe a necessidade de diminuir o consumo de energia elétrica e o trem Maglev trabalha com eficiência.

Renewable Energy Sources For Modern (Maglev) Trains

A velocidade é um alvo a humanidade está eternamente buscando. O transporte ferroviário é o lugar onde um trem corre ao longo de um conjunto de dois trilhos de aço paralelos, conhecido como uma estrada de ferro ou estrada de ferro. Os trilhos são ancorados perpendicularmente aos vínculos (ou dormentes) de madeira, concreto ou aço, para manter uma distância consistente à parte, ou o calibre.

Os métodos alternativos incluem o monotrilho e maglev.

O termo “maglev” refere-se não só aos veículos, mas ao sistema ferroviário, bem como, especificamente projetado para levitação magnética e propulsão.

Maglev train guideway

Outras experiencias antigas e muito atuais e que devem conviver com a energia solar:

Maglev Coming to SimCity a Few Years in Advance of Civilization

Solar Maglev Train Innovation

MAGLEV 2016
The 23rd International Conference

Berlin, Germany, September 23-26, 2016

A conferência MAGLEV 2016 será realizada em Berlim, em cooperação com a InnoTrans de Berlim de 2016. O tema principal do MAGLEV 2016 é “Soluções Maglev para pessoas, cidades e regiões?

O MAGLEV 2016 é uma conferência científica e, portanto, incentiva diferenças de opinião sobre os sistemas específicos e seus respectivos impactos sobre o desenvolvimento da tecnologia, sociedade e ambiente, especialmente porque estas questões constituem os componentes básicos de um diálogo construtivo, a discussão crítica.

The International Maglev Board is an international non-profit organization. It is made up of internationally known transport scientists, engineers, experts as well as members of citizens’ movements. Vejam como estão avançados no Japão, China e Europa – e mais já fazendo testes para uso da energia solar.

japan_maglev_2.png

Loucura? Só que sem energia solar, ou acumuladas em baterias.

A idéia de um túnel que liga Nova York e Londres apareceu pela primeira vez em um romance de Victorian escritor de ficção científica, Jules Verne em 1895. Mas a possibilidade de que alguma vez aparecendo era remota, devido à dificuldade de tal projeto alucinante.

O que: túnel subaquático Transatlântico e Maglev trem supersônico
Onde: entre Nova York e Londres
Custo: US $ 12 trilhões

Uma alternativa poderia ser um túnel que está submersa e senta-se no fundo do oceano como o famoso San Francisco BART mas essa idéia tem suas próprias impossibilidades. Por exemplo, a pressão nesse fundo do Atlântico é 500 vezes maior do que a superfície – o suficiente para esmagar o aço mais forte e estruturas de concreto.
A opção mais viável seria a de ter um túnel que flutua o suficiente para evitar a interferência com rotas de navegação, mas raso o suficiente para ser salvo da pressão. O túnel seria mantido por uma série de cabos ancorados no fundo do mar. Os cabos seriam ajustáveis e dando folga apenas o suficiente para permitir que o túnel possa absorver os impactos das correntes oceânicas fortes e marés. Mesmo assim, a interferência de animais, tais como as baleias que colidem com a estrutura não pode ser calculado.