O ambiente agradece: ônibus movido a Hidrogênio

No exterior já existem alguns ônibus circulando com o combustível Hidrogênio. No Brasil estamos começando e com ambições de que a tecnologia ganhe o mundo. Este realmente é um sério passo para um futuro melhor. Acredito muito na utilização do hidrogênio. Problemas surgiram no início dos teste, no tocante a armazenagem do combustível nos veículos.

Veja o que diz a reportagem do site H2: a era do hidrogênio:

“Um ônibus menos poluente, silencioso e com ar-condicionado deve começar a circular pelas ruas de São Paulo a partir de 2008. O município foi escolhido para testar uma nova tecnologia desenvolvida por pesquisadores brasileiros, que usa, para a locomoção do veículo, gás hidrogênio e uma bateria reserva – um sistema híbrido único no mundo. O projeto serve de exemplo para outros países em desenvolvimento e faz com que o Brasil, maior produtor mundial de ônibus (19 mil unidades por ano), mire o mercado externo.

Um protótipo será fabricado no ano que vem, para circular pela cidade de São Paulo, no corredor São Mateus-Jabaquara, de 33 quilômetros de extensão e usado por cerca de 6 milhões de passageiros diariamente. Também no ano que vem, será construída uma estação de produção de hidrogênio que servirá para abastecer os tanques do gás instalados no teto do veículo.

Na estação – a primeira da América do Sul -, o gás será obtido por eletrólise, processo em que a água, por meio da energia elétrica, é separada em moléculas de hidrogênio e oxigênio. O processo foi escolhido em razão da grande capacidade do Brasil de gerar energia elétrica por meio de usinas hidrelétricas – 92% da eletricidade brasileira provém dessa fonte. O hidrogênio pode ainda ser produzido por meio de outras fontes de energia renovável, entre elas o etanol. “Para isso, é preciso um reformador, uma tecnologia que está em estágio de pesquisa e deve estar disponível a partir de 2020”, disse o secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia, João José de Nora Souto.

No modelo brasileiro, depois de abastecido nos tanques, o hidrogênio é direcionado para a célula a combustível, que combina o gás com o oxigênio do ar e produz energia elétrica sem ruído ou combustão. A eficiência energética é de 50% – enquanto no sistema a diesel é de 30% – e a pureza é de mais de 99: o ônibus libera pelo escapamento apenas vapor de água, com quase nenhum poluente. “A partir desse projeto estamos dando um passo significativo para que o Brasil entre na busca por uma cidade mais saudável”, ressaltou o diretor-presidente da EMTU-SP, Joaquim Lopes da Silva Júnior.

A expectativa é que os testes com o protótipo possam, além de reduzir a emissão de poluentes e gases de efeitos estufa, demonstrar a viabilidade do ônibus e da infra-estrutura de produção de hidrogênio e do abastecimento em condições reais de operação; e acelerar e disseminar as técnicas de operação, manutenção e fabricação, “para que ele tenha condições de ser exportado a curto prazo”, afirmou o coordenador nacional do projeto, Marcio Rodrigues Alves Schettino. Até 2010, outros quatro ônibus devem ser testados e, caso a atividade seja bem-sucedida, serão fabricados cerca de 200 veículos, prevê o coordenador.”

Repetindo: A eficiência energética é de 50% – enquanto no sistema a diesel é de 30% – e a pureza é de mais de 99: o ônibus libera pelo escapamento apenas vapor de água, com quase nenhum poluente. http://www.portalh2.com.br/prtlh2/noticias.asp?id=153

 

E muito mais:
http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=48604

Quero produzir álcool em casa

Imagine você no quintal de sua casa abastecendo o veículo com etanol de sua produção. Revendendo para os vizinhos.

Veja a bomba caseira de combustível. E também fábrica. E não tem que passar no caixa. Você poderá cobrar dos amigos ou trocar por sobras de bebidas.

Pena que está sendo vendida nos EUA. Dá para importar. No início num grupo de amigos. Você controla a qualidade. Leia esta postagem, vale a pena.

http://www.efuel100.com/t-buynow.aspx

O EFuel100 MicroFueler ™ é a primeira refinaria de etanol portátil do mundo, micro-sistema que substitui o tradicional processo de destilação, tornando possível efetivamente se criar seus próprios combustíveis para consumo próprio e pequenos negócios. E com total segurança.

O E-Fuel reduz significativamente o tamanho dos equipamentos utilizados nos métodos tradicionais de fermentação e destilação, para produzir etanol. Dedicado ao “produzir e consumir in loco”, eliminando vários problemas associados à produção de etanol em larga escala, ou seja, transporte e distribuição.

Como funciona

O MicroFueler é simultaneamente uma bomba (como as utilizadas em Postos de combustível) e um destilador de etanol, numa só unidade. A bomba tem painel de LCD com interface simplificada. Este notável produto utiliza micro sensores e membrana de alta tecnologia, e com recomendação de utilizar o açucar MicroFueler ao invés de amidos, reduzindo o período de destilação consideravelmente.

Utilizará entre 10lbs a 14lbs de açúcar para produzir 1 galão de etanol. O MicroFueler é capaz de produzir 5 galões de etanol por dia.

O MicroFueler tem um único modo de destilação, que permite ao consumidor converter descartados como cerveja, vinho ou bebidas destiladas em etanol. Cuidado deve ser tomado para evitar impurezas, como sujeira ou detritos, no tanque de fermentação, poderiam obstruir ou prejudicar o funcionamento futuro do sistema MicroFueler. É só filtrar antes.

O custo para a transformação de descartados resultaria em US $ 0,10 por galão de etanol produzido. Um típico bar ou restaurante desperciça milhares de galões de álcool anualmente! Cerveja, vinhos e outras  bebidas poderão produzir entre 5 a 20 % de etanol e bebidas destiladas para cima de 40% de etanol. E as vinícolas, cervejarias e alambiques, onde às vezes descartam mais de um milhão de galões de álcool por ano. Verdadeiramente, um mercado inexplorado, futuros clientes E-Fuel!

Etanol

Etanol combustível é o álcool etílico, o mesmo tipo de álcool encontrado em bebidas alcoólicas. Tal como um combustível, é uma alternativa a gasolina e biocombustíveis. Amplamente usado em automóveis no Brasil.

Anidro etanol (álcool com menos de 1% de água) pode ser misturado com gasolina em quantidades variáveis e até etanol puro (E100). Não teria problema quanto a faísca-ignição em motores a gasolina, funciona bem com misturas de até 65% de etanol (E65) ou 100% etanol (E100). Com um conversor de etanol instalado. A maioria dos automóveis nas estradas dos EUA, estão funcionando em misturas de até 10% de etanol na gasolina para reduzir as emissões nocivas à saúde.

Produção

Etanol pode ser produzidos em massa a partir da fermentação do açúcar. O atual interesse no etanol reside principalmente no bioetanol, produzido a partir de açúcar ou amido encontrado em uma ampla variedade de culturas. São considerados combustíveis “renováveis”.

Economia de combustível

Recentes estudos consideram que certas misturas de etanol podem proporcionar maior economia de combustível, comparados à gasolina.

Tecnologia em bateria

Segundo o The Nikkei News, a Volkswagen e a Sanyo se uniram para desenvolver uma bateria mais eficiente de ion-lítio (ion lithium). A referida bateria poderia ser o primeiro caminho realmente positivo para termos automóveis eléctricos e híbridos andando mais tempo sem recarregar a bateria (utilizando o aquecimento solar não poderia ir recarregando? Existe esta tecnologia?). Os alemães esperam iniciar a importação da bateria para a linha 2012.

A baterias de íon-lítio são amplamente utilizadas em computadores pessoais e telefones celulares. A Sanyo é a maior fabricante destas baterias.

A Toyota (Prius) tem parceria com a Matsushita Electric Industrial, conhecida por sua marca Panasonic. A previsão é a utilização das baterias de ion-lítio a partir de 2010.

A Nissan se uniu à gigante japonesa NEC Corp e irão produzir em quantidade as baterias de lítio-íon (http://www.treehugger.com/files/2007/04/nissan_and_nec.php).

A proposta é de um veículo mais ecológico (em relação às baterias de níquel-hidrogénio).

A bateria da Sanyo e Volkswagen será menor do que uma bateria de níquel-hidrogénio, tornando possível a concepção de carros mais leves do que os que utilizam baterias convencionais.

Sanyo está passando por uma reestruturação, e considera esta nova bateria um negócio fundamental para a sua recuperação financeira e estrutural. A Sanyo fornece baterias de níquel-hidrogénio para a Honda e Ford.

http://www.sanyo.co.jp/energy/english/product/lithium_1.html

A Volkswagen e Audi inicialmente utilizarão as baterias de níquel-hidrogénio da Sanyo, no híbrido que será lançado em 2009.

Europa clean

Vários países da Europa utilizam, normalmente perto da fronteira com outro País amigo, suas usinas de energia nuclear. Afinal, precisam de energia, muita energia. Principalmente no inverno. Isso é secundário.

O fato positivo é que a preocupação com a emissão de poluentes nas cidades é grande. Os carros rodando com novos motores diesel econômicos e utilizando diesel limpo.

Uma experiência interessante é feita com células de hidrogênio. Trinta e seis ônibus produzidos pela Daimler, e que utilizam célula de combustível já rodaram em conjunto dois milhões de quilômetros, transportando sete milhões de passageiros.

Os testes foram complexos abrangendo desde temperaturas super frias, calor do verão espanhol e regiões montanhosas.

Os testes práticos se iniciaram em 2003 dentro do programa CUTE (Clean Urban Transport for Europe), que tem ajudado a promover a produção de hidrogénio e tecnologia para o seu uso prático.

O sistema de célula de combustível é simples e eficiente: as células de combustível produzem energia a partir de uma reação de hidrogênio e oxigênio atmosférico com uma taxa de rendimento até 60%. Isso faz com que seja cerca de duas vezes mais elevada que com motores diesel.
Notícia veículada no German Car Scene:
http://germancarscene.co

Veja mais informações:
http://ec.europa.eu/transport/clean/index_en.htm

Bicombustível: álcool + diesel

De acordo com a Revista Exame, a Fiat está desenvolvendo um motor bicombustível que trabalha com àlcool e diesel. Diferente dos bicombustíveis atuais, o motor em projeto terá dois sistema de injeção e dois tanques de combustível, assim a mistura dos combustíveis será na câmara de combustão.

A previsão de lançamento é 2010 e o motor está sendo desenvolvido para a utilização em máquinas agrícolas.

O motor irá funcionar sem velas de ignição e a princípio utilizará o diesel somente para dar início à combustão, veja mais informações sobre seu funcionamento.