Faça um curso de tecelagem manual em Penedo com O tecelão Rodrigo

Iniciamos nossos posts sobre a Finlândia falando sobre O Tecelão Rodrigo que fincou raízes na cidade de Penedo, tendo contato com finlandeses que praticamente fundaram essa cidade brasileira (para dizer a verdade – atualmente é um bairro da cidade de Itatiaia) no tocante a Tecelagem manual.

Exibindo P_20170704_102606.jpg

 

Fizemos uma visita ao Rodrigo para conhecer de perto o trabalho impar que realiza, seja dando cursos locais e à distância, até colaborações com trabalhos sociais. Ainda mais, você poderá encomendar um trabalho produzido na tecelagem manual – o que lhe confere uma beleza impar e nos remete a tempos remotos, desde quando se cruzou os primeiros fios do urdume e trama.

Primeiro tear construído pelo próprio Rodrigo, com auxílio de um finlandês autentico especializado nessa área – com diz o Rodrigo em seu Blog – Niilo Valtonen, o primeiro fabricante de teares manuais do Brasil:

Rodrigo tecendo no Tear Finlandês:

A montagem do urdume é trabalhosa, mas vale a pena:

Diz Rodrigo em outro Blog de sua autoria:  “Quando os Finlandêses chegaram aqui em 1929, ficaram encantados com a variedade de fibras naturais e começaram a tecer com todos os materiais que encontravam na natureza: Cipós, palhas de Taboa, hastes de Capituva e a Bucha, que veio a se tornar uma marca registrada do artesanato de Penedo. Era muito comum encontrar os bonés, as sandálias e os tapetes de sauna, tecidos com bucha, num processo muito curioso, pois era necessário tecer com a bucha molhada e macia, e a cada batida do pente espirrava água para todos os lados, os teares ficavam encharcados e as varandas molhadas. Coisas de finlandês vivendo no calor tropical!
Com os outros materiais, eram tecidos jogos americanos, luminárias, descansos de panelas e centros de mesa, que eu continuo tecendo até hoje e são o carro chefe de minha produção”.

Exibindo P_20170704_102659.jpg

E qual a dica que damos? Ir fazer um curso com O Tecelão Rodrigo em Penedo, RJ. Você marca o curso e poderá ficar hospedado(a) na Pousada Rainha da Mata que fica em Penedo e numa alegre caminhada poderá ir a pé até O Tecelão:

Exibindo P_20170704_113725.jpg

É uma pousada nova e alegremente decorada. O café da manhã é muito bom e com pães feitos na própria pousada.

Exibindo P_20170704_113801.jpg

Exibindo P_20170704_082429.jpg

E para almoçar existem várias opções na cidade. Tem um restaurante em que a nutricionalista supervisiona de perto os pratos, sempre no caminho de atender bem. Existem vários pratos disponíveis com carnes e peixes, mas ganha destaque suas opções vegetarianas (lembrando que quando os Finlandeses chegaram, eram vegetarianos – isso em 1925). Pratos com cogumelos frescos e a novidade do nhoque de Inhame.

Restaurante Petit Gourmet:

Mix de cogumelos com verduras orgânicas:

A imagem pode conter: comida

Bom curso, bom passeio e boa comida.

Dornach, Suiça – Antroposofia

Dornach é uma cidade suíça onde o pensador Rudolf Steiner construiu a sede de seu trabalho: Antroposofia.

aa8

Rudolf Steiner

Rudolf Steiner foi um filósofo, pensador, educador, artista. Foi fundador da Antroposofia, da Pedagogia Waldorf, da agricultura biodinâmica e da medicina antroposófica. Steiner dizia que ao se pensar sobre o pensar começamos a fazer acesso a uma consciência diferente da cotidiana

Ele editou as obras científicas de Goethe. Tornou-se profundo conhecedor da obra de Goethe, escrevendo inúmeras obras sobre ele, dedicando-se à explicação do pensamento do autor alemão. Ao mesmo tempo escrevia sobre assuntos filosóficos.

Steiner ele foi o líder da Teosofia na Alemanha, mas rompeu com eles e fundou a Sociedade Antroposófica. 

aa5

Goetheanum é a sede mundial do movimento antroposófico. Localizado em Dornach, Suíça, o centro inclui dois teatros, espaços para exposições e palestras, biblioteca, livraria e os escritórios da Sociedade Antroposófica:

aa4

aa2

Todo o projeto do Goetheanum foi de autoria do Rudolf Steiner.

aa1

aa3

Steiner criou também a Pedagogia Waldorf:

A Pedagogia Waldorf tem como ponto de partida o conhecimento da criança e de seu desenvolvimento em diversos aspectos. Enfoca o ser humano como ente físico, anímico e espiritual. Embasada na concepção de ser humano e mundo desenvolvida pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner (1861-1925), essa pedagogia tem como objetivo o cultivo das potencialidades individuais. Leva em consideração a diversidade cultural e se compromete com princípios éticos humanos amplos e gerais. (informações colhidas no site da Antroposofia).

Os conteúdos e atividades visam ir ao encontro das necessidades próprias de cada fase do desenvolvimento dos alunos: Educação Infantil com espaço e tempo para o desenvolvimento de uma infância saudável, sem procedimentos voltados para a alfabetização precoce, os primeiros oito anos escolares do Ensino Fundamental têm, preferencialmente, acompanhamento feito pelo mesmo professor e ensino de aulas de Trabalhos Manuais, Música, Jardinagem, Artes ao longo de todo o currículo.

aa6

A Escola – Microcosmo Social – As atividades sociais fazem da Escola Waldorf Rudolf Steiner, um espaço de encontro em torno do foco de interesse: educação dos alunos. A escola oferece palestras à comunidade escolar, atividades pedagógicas e artísticas permitindo a integração de pais, convidados e professores. As festas escolares, o Bazar Natalino e outras atividades fazem da escola um importante centro de convivência.

Medicina Antroposófica:

A Medicina Antroposófica busca tratar o ser humano considerando sua relação com a natureza, sua vida emocional e sua individualidade.

No Brasil temos a Clinica Tobias:
aa9

Agricultura Biodinâmica:

A horticultura orgânica e biodinâmica tem como base a produção de alimentos sem uso de agrotóxicos e adubos químicos, respeitando os processos ecológicos naturais dos agroecossistemas. A busca atual por mais saúde e qualidade de vida tem aumentado muito a demanda por alimentos saudáveis oriundos destes sistemas agroecológicos. Por sua vez, a agricultura familiar sendo a primeira a atender esta demanda, desenvolveu suas próprias tecnologias com base no saber popular e na agricultura tradicional. Contudo, a melhoria da produção e o uso correto dos recursos naturais nestes sistemas necessitam do desenvolvimento de pesquisas visando conhecer e testar estas e novas tecnologias. Nos últimos 15 anos a demanda por pesquisas em sistemas agroecológicos aumentou muito, cada vez mais o jovem cientista tem se interessado por pesquisas junto aos agricultores familiares.

aa7

 

aa8

Rudolf Steiner gostava muito do trabalho desenvolvido por Goethe -Fausto, de Goethe:

Reforma na Educação? Será que os maiores especialistas em educação, e brasileiros, foram ouvidos?

Muito boa a entrevista do Pacheco, e finalmente alguém que pode falar sobre essa brincadeira de reforma na Educação. Com a palavra o Pacheco: “o Distrito Federal terá a primeira comunidade de aprendizagem do mundo. Será no Paranoá.”
“E agora vou para a Itália. Falar de quê? Dos projetos brasileiros inovadores. Agora é o Sul que está a informar o Norte. O Janine, a quem devo muita admiração, criou um grupo de trabalho que fez um levantamento de projetos inovadores no Brasil. São 178.”
“O ministério se comprometeu perante esses projetos a acompanhá-los e avaliá-los. Mas entrou o novo ministério e acabou tudo. A questão é essa. Desperdício.”
Ancora em Cotia: “Um rapaz diz que está faltando água na favela. Hoje, ele tem uma microempresa de produção de cisternas para colher água da chuva a partir do material do catador. Está livre do tráfico, potente na sua capacidade. Aprendeu ciências, física, hidráulica, português, matemática. O problema é que ao fim de algum tempo, deixam de fazer perguntas.”

A mudança proposta para o Ensino brasileiro feita pelo Governo atual: “Foi feita às pressas, sem debate, mas não me importa, porque é o comportamento comum, infelizmente, do poder público. É um disparate técnico, científico, pedagógico. Por quê? Porque, primeiro, ela é feita dentro do velho modelo, de uma escola sucateada, que justifica a existência do cursinho, que é da mesma natureza. Está condenada a não ter êxito. Já dão quatro dias de aulas de português e matemática e uma só de educação física. É o modelo educacional centrado na escola do século 19, que está errado. Eu não saio dessa. E as pessoas precisam entender que quando criticam o ministro… O ministro, coitado, ele não sabe nada de educação, não tem culpa. Está lá,”

Veja na integra a entrevista do educador português José Pacheco que está dando sopa no Brasil e o Ministério da Educação perde a oportunidade de ouvi-lo. Senhor Presidente do Brasil, é necessário ouvir as propostas do José Pacheco, que é toda baseada em conhecimento de estudiosos brasileiros. A solução está próxima, o Pacheco mora em Brasilia, é só chamá-lo para conversar.

José Pacheco: A educação do futuro irá do Sul para o Norte. Brasil – o berço do ensino moderno, a surgir.

Não canso de compartilhar as palestras do Pacheco. Esse português que adotou o Brasil para auxiliar, dentro do possível, na construção de uma nova Escola. Não deixe de assistir os vídeos.

O trabalho de José Pacheco no Brasil:

“Os projetos humanos contemporâneos não se coadunam com as práticas escolares que ainda temos, carecem de um novo sistema ético e de uma matriz axiológica clara, baseada no saber cuidar e conviver. Requerem que abandonemos estereótipos e preconceitos, exigem que se transforme uma escola obsoleta numa escola que a todos e a cada qual dê oportunidades de ser e de aprender.

Urge humanizar a educação, conceber novas construções sociais de aprendizagem, nas quais se concretize educação integral. Urge constituir redes de aprendizagem, que promovam desenvolvimento humano sustentável. Diz-nos Maturana que a educação acontece na convivência, de maneira recíproca entre os que convivem. Se a modernidade tende a remeter-nos para uma ética individualista, nunca será demais falar de convivência, diálogo e participação, enquanto condições de aprendizagem. Será oportuno falar de… comunidades de aprendizagem.

Mestre em Ciências da Educação pela Universidade do Porto e fundador da “Ecola da Ponte”, em Portugal, referência mundial em inovação pedagógica. É indutor de mais de 100 projetos para uma nova educação no Brasil e colaborador no Projeto Âncora, seguindo o mesmo modelo da Escola da Ponte. É ainda autor de inúmeros livros e artigos sobre educação.”

O momento, o agora, o novo, ser livre efetivamente.

Muito interessante este filme sobre Krishnamurti, um resumo com fatos marcantes e mensagens para serem vividas interiormente.

Ele, o verdadeiro, está em tudo, e tudo está em nós. Isso é liberdade, é viver livre, viver o momento – onde está a vida mesma.

Uma esperança, finalmente…

Chamou a minha atenção  nestes  dias 2 fatos. O primeiro, a grande notícia sobre educação: “procurando atualizar o sistema de ensino, que parece cada vez mais não dar conta das necessidades e da realidade contemporânea, e com isso estimular o estudo, duas escolas do Mato Grosso do Sul irão reformar radicalmente seus métodos. Inspirados pela Escola da Ponte, em Portugal – pioneira e referencia nos métodos de ensino experimentais – as escolas irão abolir a divisão por disciplinas, as provas, as lições expositivas, e transformar os professores em orientadores de estudo, auxiliando nas pesquisas e seus desdobramentos. A divisão por séries também será alterada: cada aluno avança de acordo com seu tempo de aprendizado, suas demandas e especificidades.”.

O segundo, sobre uma região de Campinas onde foram construídos 3 edifícios e um quarto abandonado – sem terminar, numa região totalmente contaminada por produtos químicos de responsabilidade de indústria química já desativada. Depois de construídos os primeiros prédios, em 2001, foi descoberto devido o odor que incomodava os moradores e vizinhos. É uma região onde foram erguidos inúmeros prédios. O problema maior é que essa poluição pode ter atingido o manancial hídrico da região.

O efetivo problema está nos terrenos onde os edifícios interditados foram construídos. Uma região com muitos estudantes por se localizar perto da Unicamp e PUC.

Antes de prosseguir pergunto: onde você reside alguém te entregou algum documento que garante não existir problema de poluição no local e proximidades?

Então, os alunos que estudam  nessas escolas, digamos sem um método arcaico de ensino, estarão mais abertos às causas ecológicas sendo orientados de modo moderno.

Atualmente os jovens não se preocupam, em sua maioria, com problemas ecológicos, estão caminhando em suas vidas unicamente preocupados em pouco estudar e enganados por uma falsa liberdade.

Outra pergunta: você alertaria a empresa onde trabalha sobre estar poluindo ou lançando dejetos onde não deveria? Ou, ficaria na moita para não perder o emprego? Ou, você não se preocupa com o planeta onde no futuro seus filhos viverão?

E mais, você compra um veículo para se locomover ou para se exibir? Você precisa de uma Ferrari ou outro carro beberrão, gastando combustível adoidado ou mesmo um carro diesel sem garantia de não poluir em demasia?

Se fosse governante lutaria por transporte público ecológico, economizaria recursos adotando novas modalidades de captação de energia? Puniria exemplarmente empresas que são multinacionais e poluem rios e o ar? Aplicaria recursos financeiros em projetos de despoluição de rios, etc. Incentivaria a produção de veículos eco?

Voltando para as atitudes pessoais, espera-se que nas escolas as crianças sejam orientadas a viver de bem com  a ecologia, começando por não jogar papéis nas ruas, manter suas casas limpas, orientar seus país e amigos a viverem em ambientes saudáveis.

É para ontem, que todos nós estejamos conscientizados sobre a importância de lutar por uma vida mais saudável e com  o menor nível de poluição possível.

Um exemplo que dou é que no porto da cidade de Gênova na Itália você sente a água limpa e sem poluição. E nós no Brasil aceitando a Baía da Guanabara/Lagoa Rodrigo de Freitas, Rios Tietê e Pinheiros totalmente poluídos nas 2 maiores cidades do País. E agora em agosto recebendo turistas do mundo todo. E veja os rios da sua cidade, as ruas sujas, o seu quintal e por aí vai.

Uma esperança surge. Pois tudo vem pelo ensino das crianças nas escolas, pois a maioria dos país não tem tempo para seus filhos e normalmente jogam lata de cerveja pela janela do seu carro  ou ônibus. Fumam e jogam os tocos de cigarro na rua.