O momento, o agora, o novo, ser livre efetivamente.

Muito interessante este filme sobre Krishnamurti, um resumo com fatos marcantes e mensagens para serem vividas interiormente.

Ele, o verdadeiro, está em tudo, e tudo está em nós. Isso é liberdade, é viver livre, viver o momento – onde está a vida mesma.

Uma esperança, finalmente…

Chamou a minha atenção  nestes  dias 2 fatos. O primeiro, a grande notícia sobre educação: “procurando atualizar o sistema de ensino, que parece cada vez mais não dar conta das necessidades e da realidade contemporânea, e com isso estimular o estudo, duas escolas do Mato Grosso do Sul irão reformar radicalmente seus métodos. Inspirados pela Escola da Ponte, em Portugal – pioneira e referencia nos métodos de ensino experimentais – as escolas irão abolir a divisão por disciplinas, as provas, as lições expositivas, e transformar os professores em orientadores de estudo, auxiliando nas pesquisas e seus desdobramentos. A divisão por séries também será alterada: cada aluno avança de acordo com seu tempo de aprendizado, suas demandas e especificidades.”.

O segundo, sobre uma região de Campinas onde foram construídos 3 edifícios e um quarto abandonado – sem terminar, numa região totalmente contaminada por produtos químicos de responsabilidade de indústria química já desativada. Depois de construídos os primeiros prédios, em 2001, foi descoberto devido o odor que incomodava os moradores e vizinhos. É uma região onde foram erguidos inúmeros prédios. O problema maior é que essa poluição pode ter atingido o manancial hídrico da região.

O efetivo problema está nos terrenos onde os edifícios interditados foram construídos. Uma região com muitos estudantes por se localizar perto da Unicamp e PUC.

Antes de prosseguir pergunto: onde você reside alguém te entregou algum documento que garante não existir problema de poluição no local e proximidades?

Então, os alunos que estudam  nessas escolas, digamos sem um método arcaico de ensino, estarão mais abertos às causas ecológicas sendo orientados de modo moderno.

Atualmente os jovens não se preocupam, em sua maioria, com problemas ecológicos, estão caminhando em suas vidas unicamente preocupados em pouco estudar e enganados por uma falsa liberdade.

Outra pergunta: você alertaria a empresa onde trabalha sobre estar poluindo ou lançando dejetos onde não deveria? Ou, ficaria na moita para não perder o emprego? Ou, você não se preocupa com o planeta onde no futuro seus filhos viverão?

E mais, você compra um veículo para se locomover ou para se exibir? Você precisa de uma Ferrari ou outro carro beberrão, gastando combustível adoidado ou mesmo um carro diesel sem garantia de não poluir em demasia?

Se fosse governante lutaria por transporte público ecológico, economizaria recursos adotando novas modalidades de captação de energia? Puniria exemplarmente empresas que são multinacionais e poluem rios e o ar? Aplicaria recursos financeiros em projetos de despoluição de rios, etc. Incentivaria a produção de veículos eco?

Voltando para as atitudes pessoais, espera-se que nas escolas as crianças sejam orientadas a viver de bem com  a ecologia, começando por não jogar papéis nas ruas, manter suas casas limpas, orientar seus país e amigos a viverem em ambientes saudáveis.

É para ontem, que todos nós estejamos conscientizados sobre a importância de lutar por uma vida mais saudável e com  o menor nível de poluição possível.

Um exemplo que dou é que no porto da cidade de Gênova na Itália você sente a água limpa e sem poluição. E nós no Brasil aceitando a Baía da Guanabara/Lagoa Rodrigo de Freitas, Rios Tietê e Pinheiros totalmente poluídos nas 2 maiores cidades do País. E agora em agosto recebendo turistas do mundo todo. E veja os rios da sua cidade, as ruas sujas, o seu quintal e por aí vai.

Uma esperança surge. Pois tudo vem pelo ensino das crianças nas escolas, pois a maioria dos país não tem tempo para seus filhos e normalmente jogam lata de cerveja pela janela do seu carro  ou ônibus. Fumam e jogam os tocos de cigarro na rua.

E surgiu uma nova escola…

Os próprios alunos concluíram que algo não ia bem com o ensino em si, o que aflorou com o anuncio de uma reforma que não traria as mudanças significativas sonhadas. Constava do projeto transferência de alunos devido a desativação de várias escolas, entre elas algumas tradicionais – e resolveram ir a luta. Não houve uma discussão ampla sobre o assunto que envolvesse grandes especialistas e os próprios alunos e seus pais.

E surgiu uma nova escola…

As escolas estavam separadas das pessoas, famílias e alunos por muros e grades altas. E eis que as grades e muros foram retirados, deixando-se somente um trecho para que as pessoas se lembrassem de que existiu essa separação no passado. E certamente, não foi uma boa experiência separar as escolas das famílias, da população que residia nas suas imediações..

E os pais dos alunos, juntamente com as pessoas que moravam no bairro, começaram a cuidar dos jardins pequenos e feios que enfim estavam liberados para serem cuidados com o carinho que merecem. E onde não tinha jardim criaram áreas onde colocaram plantas floridas e vasos com lindos arranjos.

E quem permitia colocar os vasos, jardins, etc?

O conselho dos alunos que dirige a escola juntamente com o diretor formal da mesma. Nada é decidido sem o consentimento desse conselho diretivo executivo com jovens de todas as idades e classes  (renovado a cada 6 meses com nova eleição, não podendo haver reeleição). E um conselho de administração com participação dos alunos, pais e professores (que é usado quando algum problema mais grave acontece – o que é muito raro). Uma vez por mês tem uma reunião geral com os alunos de todas as classes e idades, onde são repassados os assuntos da semana para aprovação geral, e qualquer um pode dar sua opinião a respeito de algum item, independente da idade.

Na mesma escola estudam alunos de todas as idades? Não tem mais separação de pré-escola, 1º e 2º graus?

Interessante pergunta. Você sabe que as crianças pequenas são muito sabias e tem ideias fabulosas que são ouvidas pelos mais velhos? E que estes, com sua experiência garimpam as mesmas deixando-as  límpidas como a mais pura das águas?

Como os Pais se aproximam da Escola tudo está se modificando. Os inspetores de alunos e faxineiros não existe mais, eles agora fazem parte de um trabalho de aproximação das famílias com a escola, a comunidade unida numa causa nobre. Os pais da região onde fica a escola e outros moradores  mesmo sem filhos ajudam na manutenção da escola. Os pais apoiam seus filhos quando não estão na Escola. A secretaria da escola conta com o auxilio dos pais com essa especialização. Existem muitas palestras e cursos para os pais também.

A manutenção da Escola agora é responsabilidade dos alunos, assim como as faxinas. Mesmo os banheiros são limpos pelos alunos, o que resultou numa limpeza impecável dos mesmos. Existe um rodizio dos alunos nesses trabalhos de limpeza, todos tem a oportunidade de participar.

E como é a convivência entre os alunos de idades tão diferentes? Os mais velhos e com idade acima dos 15 anos podem ter pensamentos e atitudes delinquentes e vícios ligados ao sexo impostos pelos meios de entretenimento, com seus filmes e novelas?

Simples, os mais velhos se sentem responsáveis pelos pequenos e orientam os mesmos nos seus estudos e tiram dúvidas mais simples. Lembramos que as crianças até seus 7 anos ou um pouco mais tem uma pureza grande e fazem um bem danado para os mais velhos, e eles gostam dos mais velhos, acreditam neles e até os imitam. E isso aumenta a responsabilidade dos mais velhos. E para muitos desses jovens, finalmente alguém gostava e acreditava neles.

Mas como isso é possível?

Então, uma das mudanças realizadas é que os alunos tem agora atividades o dia todo e anteriormente estavam perdidos nas ruas, e acabavam aprontando por não ter como preencher seu tempo. Agora as atividades da escola os envolve com aulas de musica, artesanato, tecelagem e costura em geral, e esportes. Os professores de educação física são muito importantes pois ensinam a pratica de esportes olímpicos, todas as modalidades disputadas nas Olimpíadas. A única exceção são as lutas corporais pesadas, sendo permitido somente o judô e outras artes marciais antiviolência.

As refeições são preparadas pelos alunos orientados por profissionais.

Eles também tem encontros com profissionais dos esportes, da musica, professores universitários, grandes cientistas, músicos profissionais, empresários, executivos, etc.

A escola é a coisa mais importante do bairro (ou da cidade), a referência.

Nos finais de semana as famílias podem entrar livremente na escola e os próprios alunos fazem teatro e apresentações musicais. Muitos jogos entre a garotada e seus amigos, até de escolas particulares.

A Escola é muito bem cuidada e todos queriam ajudar. Acredite, até os políticos que passaram a ser eleitos por bairros saem dos bancos da Escola e seus mandatos duram somente 4 anos, não tem mais reeleição. Já foi politico, agora não será mais. E o próprio primeiro ministro.

E os professores?

Os professores começaram a se especializar mais e não ficam mais dando aquelas aulas repetitivas e chatas, não, agora é tudo livre, o aluno sabe a hora de aprender as matérias importantes. Os professores orientam. Sabe que até a Universidade mudou, no vestibular de exatas caem questões correlatas, sempre de acordo com a carreira escolhida.

Há muito diálogo entre os alunos e os professores, que sempre os apoiam. Qualquer dúvida, os professores ajudam, e sempre orientam os alunos sobre a importância das pesquisas e troca de ideias entre si. Fora a ajuda dos alunos mais velhos para os mais novos.

E esses alunos que são problema, só aprontam?

Eles aprontam por falta de amor e carinho, pois muitas vezes existem problemas de relacionamento na sua família e próximo deles. E como já dissemos, ficavam com muito tempo ocioso e acabavam se perdendo. Mas agora é diferente, eles são recebidos com muito carinho na Escola, não ficam mais trancados a sete chaves por determinado período e podem chegar atrasados. E pior, no sistema de ensino antigo eram obrigados a enfrentar aquelas provas que não levavam a nada. Finalmente os alunos tem liberdade de ir e vir e acabam sendo conquistados pela nova chance na vida, pela oportunidade que nunca tiveram, de fazer parte de um grupo de jovens estudantes com liberdade nos seus estudos, tendo como resultante o efetivo aprendizado.

Homens e mulheres que alcançaram sucesso estão sempre na Escola, pois as empresas também mudaram de paradigma e reservam horas livres para os funcionários que querem ajudar na Escola com palestras. Os alunos ficam contagiados quando percebem as oportunidades reais de sucesso em sua vida futura, não tem porta fechada para ninguém. As próprias empresas recebem alunos para visitá-las com frequência, onde aprendem os processos de fabricação de produtos, e mesmo ideias. Médicos falam sobre a saúde.

Em todas as escolas agora existem hortas que são cuidadas pelos alunos mais jovens e cuja produção é utilizada no almoço e até para venda – onde os valores arrecadados são convertidos para melhorias na própria escola.

E as provas e notas? Vem aquela pergunta do Prof. José Pacheco – prova para que? Aula para quê? O importante é o incentivo à pesquisa pelo próprio aluno. A prova não mede nada.

E as escola particulares? Olha, atualmente uma grande mudança ocorre, pois muitos pais com posses agora preferem colocar seus filhos na escola pública. Eles ficam com pés no chão, acompanhando a realidade da própria vida das pessoas mais simples e menos abastadas.

E a coordenação de todas as escolas? Agora as decisões são da direção da escola com os jovens alunos e moradores do bairro. Cada Escola toma suas decisões com propriedade e respaldo do bairro, da cidade. Os alunos e a população também são diretores, não existe mais separação. Os alunos que se formaram na escola continuam participando, quando podem, das atividades de final de semana.

A cidade ficou mais alegre e sem problemas de violência. Os moradores do bairro ou cidade trabalham nas empresas da redondeza, o que auxiliou muito no trânsito das grandes cidades.

Dornach, Suiça – Antroposofia

Dornach é uma cidade suíça onde o pensador Rudolf Steiner construiu a sede de seu trabalho: Antroposofia.

aa8

Rudolf Steiner

Rudolf Steiner foi um filósofo, pensador, educador, artista. Foi fundador da Antroposofia, da Pedagogia Waldorf, da agricultura biodinâmica e da medicina antroposófica. Steiner dizia que ao se pensar sobre o pensar começamos a fazer acesso a uma consciência diferente da cotidiana

Ele editou as obras científicas de Goethe. Tornou-se profundo conhecedor da obra de Goethe, escrevendo inúmeras obras sobre ele, dedicando-se à explicação do pensamento do autor alemão. Ao mesmo tempo escrevia sobre assuntos filosóficos.

Steiner ele foi o líder da Teosofia na Alemanha, mas rompeu com eles e fundou a Sociedade Antroposófica. 

aa5

Goetheanum é a sede mundial do movimento antroposófico. Localizado em Dornach, Suíça, o centro inclui dois teatros, espaços para exposições e palestras, biblioteca, livraria e os escritórios da Sociedade Antroposófica:

aa4

aa2

Todo o projeto do Goetheanum foi de autoria do Rudolf Steiner.

aa1

aa3

Steiner criou também a Pedagogia Waldorf:

A Pedagogia Waldorf tem como ponto de partida o conhecimento da criança e de seu desenvolvimento em diversos aspectos. Enfoca o ser humano como ente físico, anímico e espiritual. Embasada na concepção de ser humano e mundo desenvolvida pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner (1861-1925), essa pedagogia tem como objetivo o cultivo das potencialidades individuais. Leva em consideração a diversidade cultural e se compromete com princípios éticos humanos amplos e gerais. (informações colhidas no site da Antroposofia).

Os conteúdos e atividades visam ir ao encontro das necessidades próprias de cada fase do desenvolvimento dos alunos: Educação Infantil com espaço e tempo para o desenvolvimento de uma infância saudável, sem procedimentos voltados para a alfabetização precoce, os primeiros oito anos escolares do Ensino Fundamental têm, preferencialmente, acompanhamento feito pelo mesmo professor e ensino de aulas de Trabalhos Manuais, Música, Jardinagem, Artes ao longo de todo o currículo.

aa6

A Escola – Microcosmo Social – As atividades sociais fazem da Escola Waldorf Rudolf Steiner, um espaço de encontro em torno do foco de interesse: educação dos alunos. A escola oferece palestras à comunidade escolar, atividades pedagógicas e artísticas permitindo a integração de pais, convidados e professores. As festas escolares, o Bazar Natalino e outras atividades fazem da escola um importante centro de convivência.

Medicina Antroposófica:

A Medicina Antroposófica busca tratar o ser humano considerando sua relação com a natureza, sua vida emocional e sua individualidade.

No Brasil temos a Clinica Tobias:
aa9

Agricultura Biodinâmica:

A horticultura orgânica e biodinâmica tem como base a produção de alimentos sem uso de agrotóxicos e adubos químicos, respeitando os processos ecológicos naturais dos agroecossistemas. A busca atual por mais saúde e qualidade de vida tem aumentado muito a demanda por alimentos saudáveis oriundos destes sistemas agroecológicos. Por sua vez, a agricultura familiar sendo a primeira a atender esta demanda, desenvolveu suas próprias tecnologias com base no saber popular e na agricultura tradicional. Contudo, a melhoria da produção e o uso correto dos recursos naturais nestes sistemas necessitam do desenvolvimento de pesquisas visando conhecer e testar estas e novas tecnologias. Nos últimos 15 anos a demanda por pesquisas em sistemas agroecológicos aumentou muito, cada vez mais o jovem cientista tem se interessado por pesquisas junto aos agricultores familiares.

aa7

 

aa8

Rudolf Steiner gostava muito do trabalho desenvolvido por Goethe –

Fausto, de Goethe:

Jovens , Brasil e Ciência sem fronteiras

Muito tem que ser feito em nosso Pais. E digo como muitos que começa pela Educação.

Precisamos de um novo Professor, voltado para novos tempos que já chegaram. O programa Ciência sem Fronteiras do Governo brasileiro dá um grande passo nesse sentido levando inúmeros universitários para frequentar as melhores Faculdades do Mundo. Será uma mudança de consciência e novo peso nas Universidades, cutucando os Professores para um novo tempo, um novo estudante, um novo mundo que chegou e muitos não percebem.

E na indústria – Finalmente teremos novos valores nas empresas com um novo pensar, sempre no presente, no momento. Chega de administradores, diretores, etc. que não promovem funcionários pelo seu valor técnico e poder de criação  E SIM POR HOMENS DE CONFIANÇA que normalmente não teriam capacidade para tal, mas não são concorrentes nas intenções.

Rumo a um novo Brasil, um novo mundo de oportunidades para todos.

E não sou cego para tantos desmandos e desvios de curso em nosso Pais onde a pessoa pensa em sí próprio, chega disso também.

Venham jovens do Ciência sem fronteiras e mãos a obra na construção de um novo Pais.

 

CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS – Tenho que parabenizar o programa Ciência sem Fronteiras. São jovens estudantes brasileiros (+- 13mil) que neste semestre estarão seguindo viagem para uma vivência fantástica para os próprios e os países envolvidos, principalmente o Brasil. Fora os que já foram e estão no exterior (+ de 25mil) e os que estarão indo no próximo semestre (13480) – Alemanha (com 2.000 vagas previstas); Austrália (2.250 vagas previstas); Canadá (2.188 vagas previstas); Coréia do Sul (292 vagas previstas); Estados Unidos (2.000 vagas previstas); Finlândia (300 vagas previstas); Hungria (2.300 vagas previstas); Japão (150 vagas previstas); e Reino Unido (2.000 vagas previstas). O Governo Brasileiro (Ciência/ Tecnologia e Educação) ajuda os estudantes financeiramente. Aqui no Canadá é bonito de se ver os estudantes de várias partes do mundo trocando experiências. Encontrei um jovem da Colombia que me informou que lá o próprio estudante tem que bancar os custos.
Temos que ver as coisas boas também. Esses jovens voltarão para o Brasil e causarão um impacto no campo universitário e da iniciativa privada.

É claro que muita coisa tem que mudar em nosso País e é bom ver que os jovens não estão indo para Cuba.

Uma nova escola? Repetência é crime?

Uma nova escola e o crime da repetência Muitos críticos da não repetência (progressão continuada), entre eles candidatos a cargos políticos e alunos dedicados, dizem: “Com o fim da repetência nas escolas públicas eles aprovam alunos que não sabem ler nem escrever e analfabetos ganham seus diplomas”.

Pergunto: a repetência causa problemas no pequeno ser em formação? alguém se preocupa em verificar profundamente os motivos que levam um aluno a se isolar do grupo? observar a formação de grupos dentro da classe dos que têm interesse em aprender e dos que não tem interesse em aprender? quais os motivos que levam a esta separação? Podemos concluir que realmente nos moldes atuais o que ocorre em Escolas Públicas é um problema e não a solução sobre um desvio na formação escolar. Trabalhei em 2001 como Professor justamente para acompanhar este fato e ter contato com os jovens da Escola Pública e poder auxiliá-los rumo ao futuro promissor e por vezes desperdiçado.

Comenius, criador da Didática Magna, tinha propostas modernas, muitas não implementadas ou até impossíveis de implementação pela acomodação e falta de interesse dos envolvidos na Educação: respeitar os estágios de desenvolvimento da criança no processo de aprendizagem, educação sem punição, mas com diálogo, exemplo e ambiente adequado. ambiente escolar arejado, bonito, com espaço livre e ecológico. coerência de propósitos educacionais entre família e escola, ensinar a verdadeira natureza das coisas, partindo de suas causas, não abandonar nenhum assunto até sua perfeita compreensão. Comenius frisava que o Professor da escola primária deveria ser mais sábio que os outros e remunerado com um salário maior em relação aos demais professores. E quem aceita esta verdade? Os Pais tem que ir ao trabalho e os filhos desde pequeninos ficam em Escolas. Quem são os Professores que cuidam dessas crianças?

Ainda segundo Comenius, os autênticos requisitos do homem e básico para um Professor são:

• ter conhecimento de todas as coisas;

• capacidade de dominar as coisas e a si mesmo;

• sempre se dirigir para a fonte de tudo.

Rudolf Steiner na Pedagogia Waldorf defende a relação com a família de forma intensa e nega a repetência. Steiner dividia os alunos em faixas etárias e não em séries, pois acreditava que cada idade tem necessidades específicas a serem atendidas. Como o ritmo biológico não pode ser alterado, não pode haver repetência.

O Professor deve:

• ter conhecimento profundo do ser humano;

• ver o amor como base do comportamento social;

• ter qualidades artísticas (encara cada aula como uma obra de arte);

• procurar as causas de suas imperfeições e fracasso do seu ensino, em primeiro lugar dentro de si;

• evitar a repetência do aluno e sim acompanhar a totalidade do ser.

Um poeta alemão disse uma vez que o homem aprende em seus 3 primeiros anos de vida mais do que em todos seus estudos. Ainda segundo Steiner: fazendo tricô ou tecelagem, trabalhos de escultura, marcenaria e metais, os meninos e as meninas desenvolvem uma habilidade manual que normalmente incentiva as faculdades mentais, fazendo nascer um pensar mais móvel, mais sutil.

Que a escola deixe de ser um labirinto, um presídio e um lugar de angústia e possa ser uma praça de jogos, um palácio, com muita descontração, de modo que os jovens deixem de ser tímidos e não abaixem mais a cabeça e os olhos. Devem aprender a voar mais alto como o Fernão Capelo e Gaivota. Compreender a harmonia das coisas, suas relações e interdependências abre caminhos para a verdadeira liberdade. Não adianta reter e a recitar de cor as opiniões e teorias, e sim penetrar no âmago das próprias coisas e a tirar delas conhecimentos genuínos e úteis. Criticamos, julgamos e invejamos e as coisas simples que estão muito próximas de nós e a própria natureza passam despercebidas.

Na linha de ensino criada por Krishnamurti, os professores são “educadores abertos à aprendizagem” e a “relação com a natureza desperta amor e a liberdade, e ameniza os problemas psicológicos causados pelo: medo, autoridade e competição”.

• prestar atenção nas crianças e escutá-las;

• receber carinhosamente os novos alunos;

• praticar o ensino aprendizagem, sem recompensa, punição ou comparação.

• os esportes, a arte, a dança, o teatro e as atividades ao ar livre são aspectos integrativos;

• alunos na limpeza das salas de aula, jardinagem e conservação da escola seria um grande incentivo e produziria mais responsabilidade pelo mundo e universo;

O repetir de ano coloca os jovens entre idades diferentes e graus de desenvolvimento distintos e isso não é bom. Pessoas que atrasaram seu desenvolvimento educacional podem estudar em turmas especiais (como o atual supletivo).

Wilheim Reich foi claro quando concluiu que são criadas barreiras em nosso corpo que atrapalham o caminhar nesta vida e enumero alguns dos motivos: problemas familiares que as crianças enfrentam desde seu nascimento; as barreiras impostas pelo desequilíbrio sexual – traumas não resolvidos; desequilíbrio social; defesas frente à rejeição pelo Professor, colegas de sala, e as características da própria Escola; repetir de ano quando todos passam, suas deficiências não foram consideradas em particular. Dá para imaginarmos os reflexos desses traumas no ser em desenvolvimento e as revoltas que causam. Se o Professor acompanhar o desenvolvimento total da criança sem se apegar somente ao conhecimento técnico verá suas limitações/inclinações que impedem o desenvolvimento em determinadas matérias.

E os governantes da área da Educação devem rever com carinho o Professor Primário que tem muita importância nos primeiros passos das crianças e que marcarão o seu futuro. Melhor formação e salários condizentes. Muitos Professores passam por sérias dificuldades devido os baixos salários. E é fundamental observarmos que se os Professores tiverem apoio governamental para exercerem seu ofício o números de Policiais nas ruas tenderá a diminuir e muito.

Podemos também observar que as denominadas Escolas Democráticas tem como base do seu funcionamento o respeito, a tolerância e o amor. Uma escola que segue princípios de Leo Tolstoi e por exemplo na sua reunião semanal os tutores, funcionários e educandos discutem a melhor forma de conviver no espaço escolar, levantando temas para reflexão e tomando decisões coletivas a respeito dos impasses e desafios que surgem. As reuniões que ocorrem nas Escolas atualmente e no geral são entre Professores e Coordenadores e alguém já pensou em convidar os alunos para participarem? Discutirem juntos Projetos e Atividades? Programação conjunta de atividades de lazer?

E uma mudança também importante a ser feita e que tem como referência o esporte mais popular de nosso País seria o ensino Técnico no Esporte. Os jogadores de futebol são um exemplo para os jovens. Um dos incentivos para que os jovens estudem e se dediquem seria a exigência de um diploma técnico para se tornar jogador profissional. Nível técnico de segundo grau para formação de Atleta Profissional que teria um curriculum interessante: noções de área financeira, pois podem ganhar fortuna; história do esporte; corpo humano e seus limites; vida sadia; história da Arte; etiqueta de comportamento; noções de línguas: espanhol e inglês; estágio em Escolas para ensinar o esporte para os jovens.

Palavras de Krishnamurti: “… uma Escola é um lugar onde se aprende sobre a totalidade, a plenitude da vida (school is a place where one learns about the totality, the wholeness of life)”.

Nossos jovens dependem da boa vontade de todos: Governo, Órgãos de Educação, Educadores, Familiares e principalmente os Empresários que têm empresas próximas de Escolas onde deveriam dar palestras e auxiliar/empregar seus alunos vizinhos.

Na cidade de São Paulo bem perto de nós, ali na Bela Cintra – São Paulo e na cidade de Pinhal, temos o Projeto Lumiar, onde crianças que podem pagar a Escola convivem com crianças que não poderiam pagar mas tem a oportunidade de frequentar a escola E a arte faz parte do dia a dia dessas crianças.

O nome do Projeto e Escola foi muito bem escolhido, LUMIAR: dar luz a, iluminar ou ficar iluminado; tornar(-se) claro, iluminar(-se) dar ou adquirir conhecimento, cultura, esclarecimento exibir luminosidade; reluzir, resplandecer