Curiosidades sobre a Índia

Na Índia, aproximadamente 40% da população adota a alimentação vegetariana (uma parte deles lacto-ovo).

O famoso Maabárata conhecido também comoMahabharata é um dos maiores épicos clássicos da Índia. O texto é enorme, com mais de 74 000 versos. O Maabárata é visto por alguns autores como o texto sagrado de maior importância no hinduismo e considerado um manual de psicologia. Algumas partes da obra são considerados e estudados como trabalhos fundamentais e analisados e reverenciados isoladamente, tais como:

  • Bhagavad Gita,
  • Krishvavarata,
  • algumas coisas resumidas do Ramayana, etc.

Maabárata: “ O que for encontrado aqui, pode ser encontrado em qualquer outro lugar. Mas o que não for encontrado aqui, jamais será encontrado em outro lugar.”

Serviu ainda de inspiração para o filme de PeterBroos de 1989.

Bhagavad Gita:

“A Verdade Suprema existe fora e dentro de todos os seres vivos móveis e imóveis. Porque é sutil, Ele está além do poder dos sentidos materiais da visão ou da compreensão. Embora longe, muito longe, Ele também está perto de todos.”

Dhammapada

é uma coletânea de versos do período primitivo do budismo na Índia:

“Assim como um lago profundo
Permanece translúcido e sereno,
Assim o sábio é claro
Por ter ouvido o Dharma.

As pessoas virtuosas permanecem calmas,
Sem se incomodar com prazeres e desejos,
Tocado pela felicidade e depois pelo sofrimento,
O sábio não se mostra nem jubiloso nem deprimido.”

“Melhor que viver cem dias
Sem aprender o Dharma Supremo
É viver um dia
Apreendendo o Dharma supremo.”
fonte – livro O Dhammapada da Editora Pensamento.

Krishnamurti:

“Podemos ir longe, se começarmos de muito perto. Em geral começamos pelo mais distante, o “supremo princípio”, “o maior ideal”, e ficamos perdidos em algum sonho vago do pensamento imaginativo. Mas quando partimos de muito perto, do mais perto, que é nós, então o mundo inteiro está aberto — pois nós somos o mundo. Temos de começar pelo que é real, pelo que está a acontecer agora, e o agora é sem tempo.”

Gandhi:

“O que destrói a humanidade: a política: sem princípios, o prazer: sem compromisso, a riqueza: sem trabalho, a sabedoria: sem caráter, negócios: sem moral; ciência: sem humanidade, oração: sem caridade.”

Upanixade:

“A vida no mundo e a vida no espírito não são compatíveis. O trabalho, ou a ação, não é contrário ao conhecimento de Deus, porém, na verdade, se realizado sem apego, é um instrumento para ele.”

 

A industria cinematográfica da Índia é considerada a maior do mundo.

 

E navegando na Internet me deparei com este vídeo de Jacob + Katie Schwars sobre uma região da Índia: Agra, Udaipur, Jodhpur, Khichan, Jaipur, and Dehli:

 

Devadasi dance

Apresentação no Khajuraho festival of dances (2015):

Combinação perfeita (combined trip)

Você vive em Los Angeles e acaba de comprar o novissimo e mais rápido sedan 4 portas do mundo. É o Tesla Model S 85kwh batery. É o carro do momento. Ecológico com 8 anos de garantia, só que é um carro feito para não dar manutenção, somente revisões exporádicas. Esta versão tem 2 motores, um em cada eixo e um espetácular hardware denominado Autopiloto. Os motores tem controle de torque independente. O motorista tem controle total da tração do carro. Ele foi produzido para bater a performance do Maclaren F1. Simplestmente fantástico. É só pisar fundo no acelerador. Para onde? Ojai, CA.

a1

You live in Los Angeles and is a happy owner of brand new Tesla 85 world’s first dual electric motor production car and the new safety and autopilot hardware is standard on every new model. Conventional all wheel drive vehicles distribute power to the wheels from a single engine driving a complex mechanical transmission system and has a motor on each axle, digitally and independently controlling torque to the front and rear wheels. The result is unparalleled control of traction, with instantaneous response to the motors giving drivers precisely controlled performance in all conditions. With its digital torque controls and low center of gravity, Dual Motor Model S has the most capable road holding and handling of any vehicle ever produced. The P85D combines the performance of the P85 rear motor with an additional 50 percent of torque available from our new front drive unit. The result is the fastest accelerating four-door production car of all time – while remaining one of the most efficient cars on the road. That’s a combination that can only be achieved by an electric car. Not only is the P85D a match for the McLaren F1, but it also doesn’t need a professional driver to achieve optimum performance. Just plant your foot and go.

Lets go to Ojai,CA.

a2

Hotel indicado (the Hotel):

a3

Pepper Tree Retreat em Ojai. Apesar de não ter almoço e jantar segue uma linha vegetariana. É a antiga residência do pensador Khrisnamurti. Uma das suites chama-se John Lennon (que morou ao lado por um tempo). Ali recebeu visitantes que buscavam um auxilio espiritual como Aldous Huxley, Igor stravinsky, Greta Garbo, etc.

b8

Pepper Tree Retreat, an Ojai retreat with vegetarian cuisine, is the former home of philosopher J. Krishnamurti, perhaps Ojai’s most famous resident. Krishnamurti lived here from 1922 to 1986, welcoming visitors from around the world who were challenged by his penetrating inquiries into the fundamental questions of life. These included such 20th Century luminaries as Annie Besant, Aldous Huxley, John Barrymore, Greta Garbo, David Bohm, Dr. Jonas Salk, D.H. Lawrence, Jackson Pollack, Igor Stravinsky and many others.

Almoço (lunch):

Boccali´s Ojai – restaurante simples e familiar com uma comida de primeira qualidade, massas de primeira com molhos especiais. Utiliza produtos selecionados e frescos sempre que possível produzidos nas fazendas locais. São muito atenciosos.

b11

 

Boccali’s Ojai,  3277 Ojai-Santa Paula Road  Ojai, Califórnia.

E tem história: Boccali’s recipes are “Original Ojai Italian”, inspired by family recipes passed  down from DeWayne’s grandfather, who journeyed to Santa Barbara,
California in 1898 from Lucca, Italy. Menu items feature robust flavors, and  use the freshest herbs and seasonings available. Boccali’s portions are generous, so be sure to bring a hearty appetite.  The menu features their  own fresh produce during the growing season, picked daily from their Upper  Ojai farm.

 

Jantar (dinner):

b10

Rainbow Bridge Natural Foods, que fica no centrinho de Ojai. Além de vender produtos para sua saúde tem um entreposto de produtos naturais e faz sucos e pratos rápidos deliciosos. Trabalha com produtos frescos e preferencialmente orgânicos.

Seu suco de cenouras é fantástico (as cenouras de lá são um pouco adociadas).

Nestled in the heart of Ojai, 211 E. Matilija St.,just off Ojai Avenue , Rainbow Bridge provides a wide range of healthy and natural products. In the general store, we carry a vast selection of specialty foods, many of which are made from organic ingredients and formulated for special diets. All of our produce is fresh, most of it is organic and some from local farms. The cosmetics aisles have chemical-free personal care items from deodorants and lotions to bath salts and aromatherapy oils. In the vitamin department, there is a vast selection of vitamin and mineral supplements, homeopathics, herbal remedies, and protein powders. For a snack on the go or a savory sit down dinner, our deli offers salads, sandwiches, juices, smoothies, and hot foods. We invite people from all walks of life to enjoy our comfortable shopping environment, for we are more than just a store, but a community gathering place.

O que falta para você ir lá, morar em Los Angeles ou comprar o Tesla, carro mais rápido do mundo.

What is missing for you to go there, live in Los Angeles or buy the Tesla, fastest car in the world.

Holanda – Netherland

a8

Vale a pena incluir nos seus roteiros uma viagem para a Holanda. E melhor ainda se percorrer toda a Netherland.

a1

Normalmente entramos por Amsterdã. Pode-se chegar de trem também. E descendo no Aeroporto e ir direto para Amsterdã vale a pena experimentar um Taxi elétrico da Tesla.

Den Haag (Haia) – onde fica a sede do Governo. E também a internacional Corte Suprema de Haia.

a2

Zaanse Schans – onde você poderá visitar fabricas de sapatos de madeira: Zuecos, Wooden Shoe.

a3

Volendam:

a4

Holanda de Van Gogh:

Gouda:

a5

Rotterdam, Zeeland, Kinderdijk, Delft, Scheveningen (praias), Leiden, Leidschendam, Marken e muitas outras preciosidades.

Destaque ainda para Edam onde se encontra queijos de alta qualidade.

Alkmaar e seu famoso mercado do queijo:

a7

O melhor Gouda do mundo:

Lisse-Hillegom:

 

A inigualável Amsterdam:

E para pesquisadores em Amsterdã:

Bibliotheca Philosophica Hermetica

 

A vida de Van Gogh:

 

Quem viveu os últimos anos de sua vida na Holanda foi Comenius:

Egito de Akenaton

Belo és tú, grande, esplendoroso,

Colocado no ápice de todo o universo,
teus raios chegam às regiões mais longinquas…
Tu és o princípio solar (Ra)…
Estás diante de nossos olhos, imenso…
O mundo cai num abismo de silêncio,
pois a treva reina como dona da terra…
Tu Aton, te levantas na aurora, no horizonte…
Tu iluminas as trevas, Tu lança seus raios…
Pois há uma casa para ti no meu coração,
outro não há que a ofereça
Senão teu filho Akenaton,
Que tornaste consciente em ti…

 

A verdadeira profecia do Unicórnio

A verdadeira profecia do Unicórnio

A verdadeira profecia do Unicórnio
através dos vazios do tempo

Desaparecerá gradualmente na escuridão,
em uma noite feita pelo homem.
Mas o sol passará através da névoa
quando eu me perder e assim outra vez ganhar.
 
Liberte-se! Liberte-se! Chamo-te
para novas terras além-mar:
que outro, no caminho estreito, se aproxime.

Mais distante, mais alto,
porém fora de alcance.
Escolha bem o caminho a ensinar
como se levanta os ungidos,
como se preenche o vazio,
como finalmente se aquieta
um coração desconcertado.

Busca a grande pedra!
Marque-a com um sinal
para que quem te siga
veja que é meu sinal,
e está certo, ao vê-la pondere,
e tal como os antigos escreveram:
“Um tanto para cima, um tanto para baixo”.

E custodiarei a Fonte de grandeza;
esperarei junto a uma lágrima
nascida nem pela dor e nem pela alegria,
revestido de prata, embaixo, na Terra;
Eu sou o Unicórnio.

Livro publicado pela Ediciones Urano em 1989. Original de Michael Green, Running Press Book Publishers

Krishnamurti: a dissolução da Ordem da Estrela no Oriente

A Ordem da Estrela no Oriente foi fundada em 1911 para proclamar o advento do Instrutor do Mundo. Krishnamurti fora nomeado o Dirigente da Ordem. Em 3 de agosto de 1929, dia da abertura do Acampamento Anual da Estrela, em Ommen, Holanda, Krishnamurti dissolveu a Ordem diante de 3.000 membros.

Considero este discurso do grande mestre Khrisnamurti um marco, mostrando aos pesquisadores espirituais da época que não podemos ficar presos no externo e sim, voltarmo-nos para o interior, o caminho dentro de nós mesmos.

Abaixo está o texto completo da palestra que ele deu naquela ocasião (informações colhidas da Fundação Krishnamurti):

“Vamos discutir nesta manhã a dissolução da Ordem da Estrela. Muitas pessoas ficarão encantadas, enquanto outras ficarão um tanto tristes. Não é uma questão nem para júbilo nem para tristeza, porque é inevitável, como eu vou explicar. “É possível que vocês se lembrem da história de como o diabo e um amigo dele estavam descendo a rua quando viram à sua frente um homem se agachar e pegar algo do chão, dar uma olhada e colocar no bolso. O amigo perguntou ao diabo: “Que foi que o homem pegou?” “Ele pegou um pedaço da verdade”, respondeu o diabo. “Isso é um negócio muito ruim pra você, então”, disse o amigo dele. “Oh, de modo algum”, retrucou o diabo, “Vou deixar que ele a organize”.

Eu afirmo que a Verdade é uma terra sem caminhos, e vocês não podem alcançá-la por nenhum caminho, qualquer que seja, por nenhuma religião, por nenhuma seita. Este é o meu ponto de vista, e eu o confirmo absoluta e incondicionalmente. A Verdade, sendo ilimitada, incondicionada, inacessível por qualquer caminho que seja, não pode ser organizada; nem pode qualquer organização ser constituída para conduzir ou coagir pessoas para qualquer senda particular. Se vocês logo compreendem isso, verão o quanto é impossível organizar uma crença. Uma crença é algo puramente individual, e vocês não podem e não devem organizá-la. Se o fizerem, ela se torna morta, cristalizada; torna-se um credo, uma seita, uma religião a ser imposta aos outros. Isto é o que todos estão tentando fazer mundo afora. A Verdade é restringida e usada como joguete por aqueles que são fracos, por aqueles que estão apenas momentaneamente desgostosos. A Verdade não pode ser rebaixada, mas, em vez disso, deve o indivíduo fazer esforço para ascender até ela. Vocês não podem trazer o topo da montanha para o vale. Se querem atingir o cume da montanha, vocês devem atravessar o vale e escalar as escarpas sem medo dos perigosos precipícios.

Portanto, esta é a primeira razão, do meu ponto de vista, pela qual a Ordem da Estrela deva ser dissolvida. Nada obstante, vocês provavelmente formarão novas Ordens, continuarão a pertencer a outras organizações em busca da Verdade. Eu não quero pertencer a nenhuma organização do gênero espiritual, por favor, compreendam isto. Eu faria uso de qualquer organização que me levasse a Londres, por exemplo; isso é um tipo bastante diferente de organização, meramente mecânica, como o correio e o telégrafo. Eu usaria um automóvel ou um vapor para viajar, esses são apenas mecanismos físicos, os quais nada têm a ver com espiritualidade. Novamente, eu sustento que nenhuma organização pode conduzir o homem à espiritualidade.

Se uma organização for criada com esse propósito, ela se transforma numa muleta, um ponto fraco, uma dependência, incapacita o indivíduo, e impede-o de crescer, de estabelecer sua singularidade, que reside na descoberta que ele deve fazer – por si mesmo – daquela Verdade absoluta, não condicionada. Esta é, portanto, outra razão pela qual eu decidi, uma vez que aconteceu de ser eu o Dirigente da Ordem da Estrela, dissolvê-la. Ninguém persuadiu-me a tomar esta decisão. Isto não é nenhuma grande façanha, porque eu não quero seguidores, deixo isso claro. No momento em que vocês seguem alguém, deixam de seguir a Verdade. Não estou preocupado em saber se vocês prestam atenção ao que eu digo ou não. Eu quero fazer determinada coisa no mundo e eu vou fazê-la com resoluta concentração. Estou interessado somente numa coisa essencial: libertar o ser humano. Eu desejo libertá-lo de todas as prisões, de todos os temores, e não fundar religiões, novas seitas, nem estabelecer novas teorias e novas filosofias. Então vocês naturalmente me perguntam por que eu sigo mundo afora, falando continuamente. Eu lhes direi por que razão eu faço isso: não porque eu deseje seguidores, não porque eu queira um grupo especial de discípulos especiais. (Como os homens gostam de ser diferentes de seus semelhantes, por ridículas, absurdas e banais que suas distinções possam ser! Eu não quero encorajar esse disparate). Não tenho discípulos ou apóstolos, quer na terra quer no reino da espiritualidade. “Não é a sedução do dinheiro nem o desejo de viver uma vida confortável o que me atrai. Se eu quisesse uma vida confortável eu não teria vindo a um acampamento ou a viver num país úmido. Estou falando francamente porque quero isso estabelecido de uma vez por todas. Não quero essas discussões pueris ano após ano.

Um jornalista que me entrevistou considerou uma façanha o ato de dissolver uma organização na qual havia milhares e milhares de membros. Para ele isso foi um grande feito, porque ele disse: “O que você fará doravante, como você viverá? Você não terá nenhum séquito, as pessoas não mais o ouvirão”. Se houver apenas cinco pessoas que ouçam, que tenham suas faces voltadas para a eternidade, isso será suficiente. De que serve ter milhares de pessoas que não compreendem, que estão totalmente imersas em preconceito, que não querem o novo, mas que até mesmo traduziriam o novo para satisfazerem seus próprios eus estéreis e estagnados? Se eu falo de forma contundente, por favor, não me entendam mal, não é por falta de compaixão. Se vão um cirurgião para uma operação, não seria bondade da parte dele operar mesmo que lhes cause dor? Da mesma forma, se eu falo de maneira direta, não é por falta de afeto verdadeiro – pelo contrário.

Tal como disse, tenho um só propósito: tornar o homem livre, impulsioná-lo para liberdade, auxiliá-lo a romper com todas as limitações, por que somente isso lhe dará felicidade eterna, lhe dará a incondicionada realização do ser.

Porque eu sou livre, incondicionado, completo, não a parte – não a relativa mas a Verdade inteira que é eterna – eu desejo que aqueles que buscam compreender-me sejam livres: não que me sigam, não que façam de mim ma prisão que se transforme em religião, uma seita. Ao contrário, eles deveriam estar livres de todos os medos, do medo da religião, do medo da salvação, do medo da espiritualidade, do medo do amor, do medo da morte, do medo da própria vida. Assim como um artista pinta um quadro porque se deleita com essa pintura, porque ela é sua autoexpressão, sua glória, seu bem-estar, assim faço isso, e não porque eu queira algo de alguém. “Vocês estão acostumados com a autoridade, ou com a atmosfera de autoridade, a qual vocês acham que os conduzirá à espiritualidade. Vocês pensam e esperam que alguém possa, por meio de seus extraordinários poderes – um milagre – transportá-los a esse reino de eterna liberdade que é a Felicidade. Toda sua concepção de vida está baseada nessa autoridade.

Vocês têm-me ouvido por três anos, sem que qualquer mudança tenha ocorrido, exceto em uns poucos. Analisem agora o que eu estou dizendo, sejam críticos, de forma que vocês entendam radicalmente, fundamentalmente. Quando vocês procuram uma autoridade que os conduza à espiritualidade, vocês são automaticamente instados a construir uma organização em torno daquela autoridade. Pela simples criação de tal organização, a qual, vocês pensam, auxiliará essa autoridade a conduzi-los à espiritualidade, vocês estão encerrados numa prisão.

Se falo com franqueza, por favor, lembrem-se de que assim o faço não por aspereza, não por crueldade, não por entusiasmo do meu propósito, mas porque eu quero que vocês entendam o que eu estou dizendo. Esta é a razão porque vocês estão aqui, e seria uma perda de tempo se eu não explicasse claramente, decisivamente, meu ponto de vista. “Por dezoito anos vocês vêm-se preparando para este evento, para a Vinda do Instrutor do Mundo. Durante dezoito anos vocês se organizaram, procuraram alguém que desse um novo deleite para seus corações e mentes, que transformasse toda a sua vida, que lhes desse uma nova compreensão; por alguém que os alçasse a um novo plano de vida, que lhes desse um novo alento, que os libertasse – mas agora, vejam o que está acontecendo! Reconsiderem, ponderem consigo mesmos, e descubram de que maneira essa crença os tornou diferentes – não com a diferença superficial de usar de um crachá, que é banal, absurda. De que maneira tal crença lhes varreu da vida todas as coisas inessenciais? Essa é a única maneira de ponderar: de que modo vocês estão mais livres, mais nobres, mais perigosos para qualquer Sociedade que seja baseada no falso e no inessencial? De que maneira os membros desta organização da Estrela tornaram-se diferentes? Como eu disse, vocês vêm-se preparando para mim durante dezoito anos. Não me importa se vocês acreditam que eu sou o Instrutor do Mundo ou não. Isto tem muito pouca importância. Desde que vocês pertencem à organização da Ordem da Estrela, vocês têm dado seu apoio, sua energia, reconhecendo que Krishnamurti é o Instrutor do Mundo – parcial ou inteiramente: totalmente, por aqueles que estão realmente buscando, apenas parcialmente por aqueles que estão satisfeitos com suas próprias meias verdades.

Vocês vêm-se preparando por dezoito anos, e vejam quantas dificuldades há no processo de sua compreensão, quantas complicações, quantas coisas vulgares. Seus preconceitos, seus temores, suas autoridades, suas igrejas, novas e antigas, tudo isso, afirmo, são uma barreira para a compreensão. Não consigo fazer-me mais claro do que isso. Não quero que concordem comigo, não quero que me sigam, quero que entendam o que eu estou dizendo. “Essa compreensão é necessária porque sua crença não os transformou, mas apenas os complicou, e porque vocês não estão dispostos a enfrentar as coisas como elas são. Vocês querem ter seus próprios deuses, – novos deuses em vez dos antigos, novas religiões no lugar das antigas, novas fórmulas no lugar das antigas, todos igualmente sem valor, todos barreiras, todos limitações, todos muletas. No lugar de velhas preferências espirituais vocês têm novas preferências espirituais, em vez de antigas adorações vocês têm novas adorações. Todos vocês dependem, para sua espiritualidade, para sua felicidade, para sua iluminação, de outra pessoa; e nada obstante vocês estejam se preparando para mim por dezoito anos, quando eu digo que essas coisas são inúteis, quando eu digo que vocês devem jogá-las fora e olhar para dentro de vocês próprios para a iluminação, para a glória, para a purificação, e para a incorruptibilidade do ser, nenhum de vocês está disposto a fazê-lo. Pode haver uns poucos, mas muito, muito poucos. Então, por que se ter uma organização?

Por que ter pessoas falsas, hipócritas me seguindo, a personificação da Verdade? Por favor, lembrem-se de que não estou dizendo algo cruel ou indelicado, mas chegamos a uma situação em que vocês têm que enfrentar as coisas como elas são. Eu disse no ano passado que não transigiria. Muito poucos me ouviram, então. Este ano eu tornei isso absolutamente claro. Eu não sei como milhares de pessoas mundo afora – membros da Ordem – têm-se preparado para mim durante dezoito anos, e ainda agora não querem escutar incondicionalmente, inteiramente o que eu digo.

Tal como disse antes, meu propósito é tornar o ser humano incondicionalmente livre, daí eu reafirmo que a única espiritualidade é a incorruptibilidade do eu que é eterno, é a harmonia entre razão e amor. Esta é a absoluta, incondicionada Verdade que é a própria Vida. Quero, por isso, libertar o ser humano, exultante como o pássaro no céu claro, aliviado, independente, extático nessa liberdade. E eu, para quem vocês estão se preparando por dezoito anos, digo agora que vocês devem estar livres de todas essas coisas, livres de suas complicações, suas confusões. Para isto vocês precisam não possuir uma organização baseada em crença espiritual. Por que ter uma organização para cinco ou dez pessoas no mundo que compreendem, que estão batalhando, que puseram de lado todas as coisas banais? E para as pessoas frágeis não pode haver organização nenhuma que as ajude a encontrar a Verdade, porque a verdade está dentro de todos; ela não está longe nem perto; está eternamente aí.

Organizações não podem torná-los livres. Nenhum homem de fora pode torná-los livres; nem o pode o culto organizado, nem a imolação de vocês mesmos por uma causa os torna livres; nem enfileirando-se em uma organização, nem lançando-se em trabalhos, os torna livres. Vocês usam uma máquina de escrever para escrever cartas, mas vocês não a colocam em um altar e a adoram. Mas é isto que vocês estão fazendo quando as organizações tornam-se seu principal interesse.

“Quantos membros ela tem?” Esta é a primeira pergunta que me fazem os jornalistas. “Quantos seguidores você tem? Pelo número deles julgaremos se o que você diz é verdadeiro ou falso”. Não sei quantos eles são. Não estou preocupado com isso. Como disse, se houvesse mesmo um que se tenha tornado livre, isso seria suficiente.

De novo, vocês têm a ideia de que somente determinadas pessoas possuem a chave do Reino da Felicidade. Ninguém a possui. Ninguém tem a autoridade para possuir tal chave. Essa chave é seu próprio eu, e no desenvolvimento e na purificação e na incorruptibilidade desse eu particular está o Reino da Eternidade.

Então vocês verão como é absurda toda a estrutura que vocês construíram, procurando ajuda externa, dependendo de outros para o seu consolo, sua felicidade, para sua força. Estes somente podem ser encontrados dentro de vocês mesmos.

Vocês estão acostumados a que lhes digam o quanto vocês avançaram, qual é sua posição espiritual. Quanta infantilidade! Quem além de você mesmo pode dizer se você está bonito ou feio por dentro? Quem além de você mesmo pode dizer se você é incorruptível? Vocês não são sérios nessas coisas.

Mas aqueles que realmente desejam compreender, aqueles que estão tentando encontrar o que é eterno, sem começo e sem fim, caminharão juntos com uma intensidade maior, serão um perigo para tudo que não seja essencial, para fantasias, para obscuridades. E eles se concentrarão, eles se tornarão luz, porque compreendem. Tal união nós devemos criar, e este é o meu propósito. Por causa dessa real compreensão, haverá verdadeira solidariedade. Por causa dessa verdadeira solidariedade – que vocês não parecem conhecer – haverá verdadeira cooperação da parte de cada um. E isto não devido à autoridade, não por causa da salvação, não devido à imolação por uma causa, mas porque vocês realmente compreendem, e então são capazes de viver no eterno. Isso é uma coisa mais elevada que qualquer prazer, que qualquer sacrifício.

Essas são, portanto, algumas das razões porque, após cuidadosa consideração durante dois anos, eu tomei esta decisão. Não foi um impulso momentâneo. Não fui persuadido a isso por ninguém. Não me persuadem em tais coisas. Durante dois anos tenho pensado sobre isto, morosamente, cuidadosamente, pacientemente, e agora decidi dissolver a Ordem, uma vez que aconteceu ser eu seu Dirigente. Vocês podem formar outras organizações e esperar por outra pessoa. Não estou preocupado com isso, nem com a criação de novas prisões, novas ornamentações para esses cárceres. Meu único interesse é tornar o ser humano absolutamente, incondicionalmente livre.

John Dee

John Dee nasceu em Londres em 1527 e faleceu em 1609. Foi um matemático, astrônomo, astrólogo, geógrafo e conselheiro particular da rainha Elizabeth I. Devotou também grande parte de sua vida à alquimia, adivinhação e à filosofia hermética.

Do livro John Dee’s five books of mystery : original source book of Enochian magic – como editor Joseph H. Peterson:

Talvez o maior legado de Dee seja seu papel na construção da Grã-Bretanha como uma grande potência marítima. A ele geralmente é creditada a frase “Império britânico”. Dee desempenhou um papel proeminente nos planos para colonizar o Novo Mundo, e consultou os anjos com bastante frequência sobre o empreendimento. Seu interesse não era meramente patriótico. Ele tinha um plano prévio para o novo (ou melhorado) Império britânico para competir com (Ou substituir) o império hispano-papal. Parte de sua justificativa era a mesma que a de Roma – ‘levar’ o nome de Jesus entre os infiéis, para a grande glória de Deus “. A magnitude de sua visão se refletiu na vasta extensão do império que a Grã-Bretanha continuou a estabelecer. Dee associou o novo império e o Novo Mundo com a nova era. Ele ficou fascinado com as Profecias apocalípticas de seu tempo e procurou tê-las em suas mãos, com base em seu conhecimento de astrologia. Ele acreditava que a nova era começaria em alguns anos, talvez em 1583 ou 1584. Ele se baseou em modelos astronômicos existentes. Dee datou dois de seus trabalhos usando o seu cálculo do ‘ano mundial’. John Dee sentia que o fim do mundo era imanente, em grande parte baseado em observações astronômicas. A conjunção maravilhosa pela aparição de uma supernova em 1572, um cometa em 1577 e um eclipse solar em 1582. Os anjos contam a Dee e Kelley sobre ‘a verdade da visita de Deus’.  Para competir com o autoridade espiritual de Roma, no entanto, Dee procurou a autoridade divina dos anjos e do próprio Deus. Suas publicações e as atividades políticas faziam parte de seu grande esquema para unificar os povos, religiões e línguas do mundo através do conhecimento universal. Os anjos revelaram detalhes do Novo Mundo e nova era em várias ocasiões. ‘Os velhos caminhos cessam, o novo começa’. No final, Dee não conseguiu convencer qualquer um dos seus supostos patronos reais da Plano cósmico”.

British Museum – London, UK:

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Lemos na revista Pentagrama ano 23 número 2: “Um dos alquimistas mais célebres foi o inglês John Dee. Por meio de noções alquímicas e astrológicas, assim como do simbolismo dos números provenientes da cabala, ele compôs uma figura que denominou “mônada hieroglífica”, símbolo da unidade das atividades divinas nos fenômenos da natureza. “O círculo não pode ser traçado sem a linha reta, nem a linha reta sem o ponto”. Portanto, tudo provém de um só ponto: a mônada. Aquele que o desejar, poderá liberar essas forças por uma justa compreensão e uma justa atitude“.

Resultado de imagem para dr. john dee editora pentagrama

British Museum – London, UK:

Nenhum texto alternativo automático disponível.